in

10 coisas que a tua MÃE nunca te disse!

Estes são alguns dos pensamentos emocionantes que toda a mãe tem mais poucas contam para os filhos.

“Ela chorou… Muito!
Ela chorou quando descobriu que estava grávida. Ela chorou quando nasceste. Ela chorou quando te segurou pela primeira vez. Ela chorou de felicidade. Ela chorou de medo. Ela chorou de preocupação. Ela chorou porque se preocupa profundamente contigo.

Ela sentiu as tuas dores e alegrias e ela as partilhou contigo, mesmo que não tenhas percebido.

Doeu.
Doeu quando puxaste o cabelo dela; doeu quando agarraste-a com aquelas unhas afiadas, impossíveis de cortar.
Doeu quando lhe mordeste o peito quando bebias leite.
Quando o seu corpo esticou e contraiu para te trazer ao mundo.

Ela sempre teve medo.
Deste que nasceste ela fez tudo para te proteger. Ela tornou-se uma mãe galinha. Ela é aquela mulher que queria dizer não quando alguém na rua pedia para te segurar e que fez careta quando você estava nos braços deles.

Na cabeça dela, ninguém seria capaz de te dar tanta segurança. O coração dela bateu mais rápido quando deste os primeiros passos.

Ela ficou acordada até mais tarde para ter certeza que tinhas chegado a casa são e salvo, e acordou cedo para te levar à escola.

Ela estava por perto a cada topada ou tropeção, Ela estava sempre pronta pra te abraçar quando acordavas com pesadelos ou febre.
Ela estava lá pra garantir que estavas bem.

Ela sabe que não é perfeita.
Ela é a maior crítica dela mesma.

Sabe de todas as deficiências que tem e às vezes odeia-se por causa delas. Mas é ainda mais dura consigo mesma quando o assunto és tu. Ela queria ser a mãe perfeita mas, como é humana, cometeu erros.

Ela provavelmente ainda está tentando perdoar-se por isso!

Mais que tudo, ela gostaria de voltar no tempo e fazer as coisas de outra maneira, mas isso é impossível, então sê gentil e lembra-te que ela fez tudo o conseguiu.

Ela te observou dormindo.
Às vezes ela ficava acordada até às 3h, rezando para que finalmente conseguisses adormecer.

Ela mal conseguia ficar de olhos abertos enquanto cantava para ti, implorando: “Por favor, adormece”.

E quando finalmente adormecias ela colocava-te no berço e todo o cansaço desaparecia por um segundo.

Ela ficava ali, olhando o teu rosto angelical e perfeito, sentindo mais amor do que achasse ser possível, apesar dos braços cansados e dos olhos humedecidos.

Ela carregou-te muito mais que nove meses.
Não sabias andar então ela carregou-te.

Ela aprendeu a te segurar enquanto fazia limpeza, enquanto comia, até mesmo enquanto dormia: não tinha outra alternativa!

Os braços estavam cansados, as costas doíam, mas ela segurava-os abertos para ter perto.

Sentias-te seguro nos braços dela; sabias que eras amado nos braços dela. Por isso ela te segurou sempre que foi preciso.

O teu choro cortava o coração dela.
Não havia som mais triste que o teu choro, imagem mais horrível que lágrimas escorrendo do teu rosto perfeito.

Ela fez tudo o que era possível para que não chorasses e, quando não podia impedir as tuas lágrimas, o coração dela partia-se num milhão de pedacinhos.

Ela queria aquele último pedaço de bolo.
Mas, quando te viu com aqueles olhões, lambendo a boca, não tinha como comê-lo.

Ela sabia que ficava muito mais feliz vendo a tua barriguinha cheia, em vez da dela.

Ela te colocou em primeiro lugar.
Ela ficou sem comer, sem tomar banho e sem dormir. Ela sempre colocou as tuas necessidades à frente das dela. Ela passava o dia inteiro cuidando de ti e, no fim do dia, não sobrava energia para ela mesma.
Mas, no dia seguinte, ela acordava e fazia tudo de novo.

Ela fazia tudo de novo.
Ser mãe é um dos trabalhos mais difíceis do mundo, um trabalho que às vezes te leva ao limite.

Tu choras, sofres, tentas, falhas e aprendes. E enquanto isso acontece ela sente mais alegria do que achava ser possível e mais amor do que seu coração comporta.

Apesar de tudo o que ela passou por tua causa, ela fazia tudo de novo, porque tu mereces.

Da próxima vez que a vires, diz-lhe obrigado. Diz-lhe que a amas todas as vezes que puderes porque nunca vão ser demais.”

Texto de Natasha Craig publicado no blog:
http://www.confessionsofateenagebride…

Gente Maluca no Youtube

Deixe um comentário